6 maneiras de diversificar a carteira

02 de dezembro de 2021 AssessoriaInvestimentos Básico

  • SVN Invest
  • SVN Invest

    Editor

6 maneiras de diversificar a carteira

Boris Bellini* —

Avanços pontuais da pandemia, incertezas em relação à economia e elevação da instabilidade política por conta das eleições de 2022. Essas são algumas das questões que envolvem o mercado financeiro atualmente. Diante do cenário, o investidor se pergunta: “como ganhar dinheiro frente a tantas incertezas?”.

O tipo de proteção mais utilizado e indicado por analistas e assessores é a diversificação. Basicamente, a ideia é  não concentrar os recursos em um único ativo. Quando o investidor se expõe a diferentes classes, setores e formas de rendimento, ele fica protegido de problemas que podem afetar com mais intensidade apenas uma parte dessas áreas.

Para demonstrar os benefícios, listamos seis vantagens de diversificar os  investimentos.

1. Proteger contra riscos

Os riscos são variados e podem afetar tanto investimentos em renda variável quanto em renda fixa. No começo de dezembro de 2021, o real estava desvalorizado e, portanto, ativos expostos à moeda estrangeira, como o dólar, são boas opções para trazer proteção à carteira. Esse é só um exemplo.

A diversificação deve ser feita com planejamento para que momentos de alta sejam aproveitados os movimentos acima da média, enquanto possíveis perdas são minimizadas em situações de baixa. Quando um produto da carteira apresenta rendimento inferior ao desejado, o avanço de outros  ajudam a manter o todo em equilíbrio.

Um exemplo: o investidor pode se interessar em ter parte do seu capital em commodities. Porém, questões internas, externas e mesmo geopolíticas podem afetar o setor. Se esse mercado sofrer impactos de alguma mudança repentina, haverá outros ativos capazes de amenizar as perdas da carteira, como a compra de ativos de renda fixa atrelados à inflação.

2. Buscar rendimentos acima da média com segurança

Geralmente, investimentos que oferecem mais retorno são também os que têm maior exposição ao risco. Por isso, pode ser perigoso concentrar muito capital nele. Com a diversificação, é possível se valer de bons resultados em diferentes setores da economia de forma mais segura.

Há diferentes maneiras de diversificar os investimentos. Pode-se estudar todo o mercado, o que é mais trabalhoso, ou aplicar em um produto como COE (Certificado de Operações Estruturadas). Ele já é montado com ativos diversos, oferece de maneira clara as possibilidades de ganho e prejuízo ao investidor e tem desempenho atrelado a algum índice, como o CDI. Para obter mais informações, entre em contato com um assessor. 

3. Equilibrar renda fixa e renda variável

Quando a economia enfrenta um período de recessão, especialistas aconselham pulverizar ainda mais a carteira entre renda fixa e variável. Trata-se de uma estratégia para acessar setores diferentes, o que diminui a chance de perdas significativas especialmente no longo prazo. Se a Bolsa cai em um período, mas a taxa de juros sobe, um lado pode compensar as baixas do outro.

Investir em fundos em vez de comprar ativos de maneira individual pode ser uma boa estratégia em tempos de incerteza. Vale dividir os recursos por diferentes tipos de veículos, por exemplo:

4. Construir patrimônio a longo prazo

Utilizar a diversificação de investimentos, tanto em situações de incertezas quanto em altas da economia, é uma forma de se planejar para o longo prazo. Se a estratégia for bem utilizada, as proteções em momentos de baixa e os ganhos em épocas de alta tendem a se traduzir em desempenho satisfatório da carteira ao longo do tempo.

5. Considerar a liquidez 

Pode ser interessante ao investidor ter parte de seus investimentos em ativos com alta liquidez. Em ativos com baixa liquidez, caso o investidor precise sacar os recursos antes do vencimento, ele pode ter ganhos menores ou até prejuízo. Por isso, equalizar a carteira entre ativos líquidos e não líquidos é essencial.  

6. Diversificar é investir por meio de uma estratégia comprovada

A ideia de diversificar a carteira em busca do maior retorno e do menor risco possível é influenciada pelo economista Harry Markowitz. Seu trabalho recebeu o Nobel de Economia em 1990 e influencia investidores de sucesso, como Warren Buffett. Os estudos de Markowitz costumam ser comparados ao ditado popular: “não coloque todos os seus ovos na mesma cesta”.

A SVN conta com profissionais qualificados, aptos para aconselhar as melhores estratégias de acordo com o perfil e os objetivos de cada investidor. Entre em contato com um dos nossos assessores e diversifique sua carteira de investimentos.

*Sob supervisão de Priscilla Arroyo.