Os investimentos através da XP são tão seguros quanto os feitos pelos bancos

As corretoras de valores, como a XP Investimentos, são instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil e que compõem o Sistema Financeiro Nacional, atuando na intermediação das negociações de títulos e valores mobiliários, nos mercados financeiros e de capitais, em operações com papéis de renda fixa, ações, debêntures, entre outros. São empresas fiscalizadas pelo Banco Central, além da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), sendo obrigadas a contratar auditoria independente.

O assessor de investimentos da SVN, Nathan Moura Martins, explicou que primeiramente, o risco do investidor não está dentro da XP, e sim, no emissor, ou seja, naquele papel que o cliente está investindo. “Por exemplo, se você quer comprar um CDB da Caixa, via plataforma da XP, o risco está dentro da instituição bancária e não na corretora. Se por acaso a corretora de valores chegar a quebrar, existe a CETIP, onde o ativo vai estar lá seguro e você consegue cobrar da Caixa”, disse Martins.

Segundo ele, a segurança no investimento vai depender totalmente do perfil de cada cliente e o risco que ele está disposto a correr. “O ideal é sempre usar como comparativo o tesouro direto, considerado o título mais seguro que existe, que nada mais é do que emprestar dinheiro para o governo. O risco seria se o governo quebrar, em que a chance é mínima e se vier acontecer, existe a casa da moeda onde vai se imprimir dinheiro, te pagar e gerar inflação. Se parar pra pensar que o tesouro é o título mais seguro e paga 100% do CDI, não faz sentido algumas pessoas assumirem um risco maior sobre operação bancária onde tanto em poupança (70% CDI), quanto CDB, LCI, LCA, está exposto ao mesmo risco e em geral paga menos que o tesouro”, explicou Nathan Moura Martins.

De acordo com o também assessor, Pedro Medeiros, se o cliente entrar no site da CETIP – Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos, e colocar o número do CPF estará constando todas aplicações, seja em corretora ou bancos. Ele explicou ainda que, se cliente fez a transferência para a conta que tem na XP, mas não chegou a fazer aplicações, e se houver problema com a corretora, o cliente conta com o fundo garantidor de crédito, que cobre por CPF até R$ 250.000. “Por isso é importante não deixar dinheiro na conta, nem tanto por uma questão de risco, mas porque não estará rendendo”, afirmou.

Segundo Medeiros, os assessores de investimentos podem fazer resgate de aplicações, só que todas as movimentações precisam da confirmação dos investidores por e-mail ou por telefone. “Só que esse telefone e e-mail estão todos registrados pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários. Então a CVM e a XP fazem auditorias, onde vão ver essa ordem que foi dada, podem ser comprovadas pelos meus e-mails ou no pela ligação gravada. Vou encaminhar isso para XP, que depois encaminha para CVM. Por isso todas as movimentações precisam ficar registradas”, disse o assessor da SVN.

**Nathan Moura Martins – oito anos de experiência no mercado financeiro e investimentos. Trabalhou em banco e há quase um ano é assessor da SVN Investimentos.

**Pedro Medeiros – bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Estadual de Maringá. É assessor da SVN Investimentos há um ano e dez meses.

Próximo post