O que é Selic?

21 de dezembro de 2021 ÍndicesInvestimentos Básico

  • SVN Invest
  • SVN Invest

    Editor

O que é Selic?

Helena de Lima —

Selic é a taxa básica de juros do Brasil, uma das mais importantes da economia. Definida pelo Banco Central, a taxa é um dos principais instrumentos de controle da inflação. Ou seja, quando a inflação está em alta, a taxa de juros sobe para conter o consumo e arrefecer o avanço dos preços. 

O nome completo da taxa é ‘Selic Meta’, que guarda a ideia de sempre evitar que se fure a meta de inflação determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Porém, para facilitar a leitura, iremos tratá-la apenas por Selic. 

Quem determina a Selic?

O órgão responsável por definir a Selic é o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que se reúne cerca de oito vezes por ano. 

Cada reunião dura dois dias – e acontece sempre às terças e quartas-feiras. No primeiro dia são feitas as discussões, e no segundo ocorre a votação e o anúncio da decisão. 

As discussões do Comitê são registradas em uma ata, que é divulgada na semana seguinte às reuniões e são olhadas de perto pelos agentes do mercado e pelos economistas, que buscam entender quais serão os próximos passos da política monetária.  

Como o Copom se posiciona nos diferentes cenários inflacionários? 

Quando a inflação está alta, o Comitê tende a aumentar a taxa Selic. E quando a inflação está controlada ou baixa, normalmente o colegiado decide manter ou reduzir a taxa. Então, é importante acompanhar os movimentos do Copom e os seus reflexos na economia para compreender as consequências no dia a dia. 

Quando o Copom aumenta a Selic, ele sinaliza que deseja segurar a subida da inflação. Como a Selic baliza todas as outras taxas de juros do País, o crédito encarece, há menor circulação de dinheiro e, como consequência, a expectativa é que os preços diminuam.  

Mas, quando o Copom reduz a taxa de juros, o crédito se torna mais barato, há mais circulação de dinheiro e aumento do consumo. Na prática, as empresas passam a investir mais, e a demanda por produtos aumenta, o que se traduz em um incentivo para a economia.

Quais os impactos da Selic nos investimentos? 

A alta ou a queda da Selic impactam de maneira direta os rendimentos de renda fixa, que têm o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) como um dos principais indicadores. Vale destacar que o CDI segue a Selic. 

Quando a Selic está em patamar elevado, os investidores tendem a elevar o interesse por ativos de renda fixa, como reflexo da melhora da rentabilidade. 

No entanto, quem investe deve sempre levar a inflação em consideração. Por isso, vale sempre pensar no retorno considerando o rendimento real das aplicações – ou seja, a rentabilidade que considera o desconto da inflação no retorno do aporte.

A mesa de renda fixa da SVN conta com profissionais qualificados para aconselhar as melhores estratégias de acordo com o perfil e os objetivos de cada investidor. Entre em contato com um de nossos assessores.