O que é Circuit Breaker?

20 de outubro de 2021 Bolsa de valoresInvestimentos Básico

  • SVN Invest
  • SVN Invest

    Editor

O que é Circuit Breaker?

Beatriz Lopes* —

Em momentos de crise – como quando as bolsas de valores de todo o mundo entraram queda após o anúncio da pandemia do coronavírus – há mecanismos que servem para proteger os investidores da volatilidade, evitando grandes perdas no mercado de ações. 

Um das ferramentas mais importantes é o Circuit Breaker.

O quê é Circuit Breaker?

O Circuit Breaker trava toda e qualquer operação da Bolsa de Valores quando o mercado financeiro está passando ou poderá passar por uma crise. Ele protege e diminui a volatilidade excessiva nos preços das ações. Para isso, fica impossibilitada a realização das negociações e os investidores “ganham tempo” para analisar as possibilidades e estratégias. No Brasil, o Circuit Breaker é usado no Ibovespa – principal índice de ações no País. 

Para que ele seja colocado em prática, deve seguir alguns critérios pré-estabelecidos que determinam a paralisação do pregão por um determinado período de tempo, e quando a queda atinge um certo percentual. 

Na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), quando o Ibovespa cai 10%, as negociações são suspensas por 30 minutos. 

É importante ressaltar que esse mecanismo não é usado com frequência – é até mesmo  atípico. Mas, mesmo assim, as regras devem ser estabelecidas e todos devem ter esse conhecimento, já que o pregão exige soluções rápidas e práticas. 

Regras do Circuit Breaker

O mecanismo não é acionado todas as vezes que acontece uma situação de crise. No Ibovespa, o Circuit Breaker segue as seguintes regras para entrar em ação:

  • O Índice deve apresentar queda de mais de 10% em relação ao fechamento do pregão anterior. Sendo assim, as atividades são interrompidas por meia hora;
  • Durante a reabertura das atividades, se o Índice continuar a despencar e alcançar uma queda de 15%, a interrupção é feita novamente por mais uma hora;
  • Se mesmo após esse tempo e com nova reabertura, a melhora não acontecer e a porcentagem de queda atingir 20%, a bolsa decide qual será o tempo de suspensão das operações.

Botão antipânico 

O Circuit Breaker ajuda a conter o pânico do mercado financeiro, para que os investidores se acalmem e possam tomar decisões de maneira mais racional e assertiva diante da circunstância naquele momento. O objetivo é evitar medidas drásticas e precipitadas que possam multiplicar prejuízos e, portanto, alimentar a instabilidade do mercado.

Por isso, as ordens de compra e venda são paralisadas, impossibilitando qualquer movimentação.

Circuit Breaker no Brasil

Em 2020, o mecanismo foi acionado seis vezes só no mês de março – dias 9, 11, 12 (duas vezes), 16 e 18 – devido à pandemia do coronavírus que desencadeou uma onda de incertezas no mercado financeiro em todo o mundo. Mas teve outros momentos na história do Ibovespa que o Circuit Breaker foi necessário.

A primeira vez que o mecanismo foi utilizado data de outubro de 1997, após uma queda brusca na Bolsa de Hong Kong, que afetou todas as outras bolsas de valores pelo mundo, inclusive no Brasil. O Ibovespa chegou a ter Circuit Breaker em três dias diferentes. 

No ano seguinte, em 1998, a Rússia enfrentou uma grande crise econômica que impactou em todo o mercado global. A B3 chegou a perder cerca de US$ 30 bilhões e as atividades foram paralisadas cinco vezes, entre agosto e setembro daquele ano.

Em 1999, devido a mudança no registro cambial no Brasil, o País passou por um  momento de instabilidade econômica e desvalorização do Real. O Circuit Breaker foi acionado logo na primeira quinzena do ano. O Banco Central (BC) negociou dólares no mercado futuro, resultando em queda no valor médio das ações da bolsa.

Nove anos depois, em 2008, os Estados Unidos passou por uma das piores crises econômicas da história e diversas empresas vieram à falência. O impacto ocasionou Circuit Breaker no Brasil por seis vezes entre setembro e outubro.

Depois, o mecanismo só foi usado novamente em 2017, em meio à divulgação do áudio da conversa entre Joesley Batista, dono da JBS, e o atual presidente Michel Temer, gravada pelo empresário.

Como já citado anteriormente, o Circuit Breaker não é usado com grande frequência, mas trata-se de uma importante ferramenta para garantir a estabilidade das negociações.

*Sob supervisão de Priscilla Arroyo