• Home
  • Conteúdo.
  • O que é arbitragem no mercado financeiro? Entenda a relação com as commodities

O que é arbitragem no mercado financeiro? Entenda a relação com as commodities

10 de janeiro de 2022 AssessoriaEconomiaInvestimentos Básico

  • SVN Invest
  • SVN Invest

    Editor

O que é arbitragem no mercado financeiro? Entenda a relação com as commodities

Boris Bellini* —

A arbitragem ocorre quando um ativo é negociado entre dois mercados diferentes. Um exemplo simples: o investidor João conhece uma pessoa de São Paulo que deseja comprar determinado carro por até R$ 60 mil. Ele viaja para o interior do estado e descobre que, na região, o mesmo modelo é comercializado por R$ 50 mil. Então, faz a compra e vende para o conhecido na capital com lucro de R$ 10 mil.

Operações desse tipo são realizadas se valendo de ativos diferentes, como a cotação de uma mesma moeda em praças diferentes. Outro exemplo é quando uma ação negociada em seu país de origem e em alguma bolsa internacional apresenta preços divergentes nos dois mercados.

A arbitragem se vale de ineficiências econômicas – quando a cotação de um ativo não reflete o seu real valor. Entretanto, com o avanço da tecnologia digital, essas diferenças se tornaram raras no mercado financeiro. Quando ocorrem, os valores podem ser corrigidos de maneira muito rápida.

Convergência de preços

Quando são realizadas operações de arbitragem com um mesmo ativo, suas cotações podem convergir para o mesmo valor.

Um exemplo prático: as ações da empresa ABCD3 estão cotadas a R$ 16 no mercado à vista, mas são negociadas a R$ 18,50 no mercado futuro. Rapidamente o investidor João identifica os preços e realiza uma operação de arbitragem.

 Porém, outras pessoas também notarão essa possibilidade de negócio. Com isso, a alta demanda por ações no mercado à vista refletirá na cotação do ativo, que tende a subir. Já no mercado futuro, como haverá aumento de ofertas, o preço cairá e os valores que eram diferentes passam a se equilibrar.

Mercado futuro e commodities

Commodities podem ser negociadas na Bolsa de Valores por meio do mercado futuro. Um fazendeiro que produz café, por exemplo, espera sete meses em média para realizar a colheita. Durante esse período, o preço do grão pode variar no mercado. Então, para se proteger de oscilações, o produtor negocia um contrato futuro, no qual se compromete a vender parte de sua safra em uma data pré-determinada com o valor também já estabelecido.

Os investidores podem negociar os contratos em si com o intuito de lucrar justamente devido às oscilações da cotação. Uma das estratégias usadas para isso é a arbitragem. O João, dos exemplos anteriores, pode perceber uma diferença na cotação do café na Bolsa do Brasil e na Bolsa de Nova York.

Mercado internacional

Existem associações responsáveis por estabelecer regras para o comércio internacional de commodities. A GAFTA (The Grain and Feed Trade Association), por exemplo, se volta a grãos e farelos enquanto a FOSFA (Federation of Oils, Seeds and Fats Associations Ltd) trata de óleo, gordura vegetal e sementes oleaginosas.

Para quem negocia os produtos em si – não apenas contratos – é possível recorrer a esse tipo de entidade quando há problemas no negócio. Se um comerciante discordar da quantidade ou qualidade do produto que receber em uma compra, poderá pedir que a respectiva associação arbitre o negócio. Então, trata-se de outro significado para “arbitragem”: discordâncias em negociações de commodities resolvidas por entes internacionais.

A SVN conta com profissionais qualificados, aptos para aconselhar as melhores estratégias de acordo com o perfil e os objetivos de cada investidor. Entre em contato com um dos nossos assessores e diversifique sua carteira de investimentos.

*Sob supervisão de Priscilla Arroyo.