IPO: como as empresas vão para a Bolsa

IPO: como as empresas vão para a Bolsa

IPO: como as empresas vão para a Bolsa

IPO: como as empresas vão para a Bolsa 1328 886 SVN Invest

Priscilla Arroyo

IPO vem da expressão em inglês “Initial Public Offering”, ou Oferta Pública Inicial (de ações). Trata-se do processo pelo qual a empresa começa a negociar as suas ações na Bolsa de Valores. Depois de realizar o IPO, a empresa passa a ter o seu capital aberto — ou seja, os investidores que compram suas ações se tornam sócios da companhia, com uma fração do capital.

Para negociar ações, a companhia geralmente se prepara por meses — ou anos — adaptando sua gestão para um modelo que dê maior transparência ao negócio. O próximo passo é solicitar um registro de companhia aberta no órgão regulador do mercado de valores, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Durante o processo de abertura de capital, que dura cerca de dez semanas, são analisados diferentes aspectos como a governança, por exemplo.

Prospecto de abertura de capital

Uma das exigências durante esse processo é a apresentação do prospecto de abertura de capital ao mercado. Trata-se de um importante documento que reúne detalhes do negócio como os números que mostram o seu desempenho, projeções, qualidade da gestão, riscos e perspectivas para o setor.

Essas referências possibilitam uma análise fundamentalista da empresa. O investidor sempre deve analisar o documento ou buscar relatórios com avaliação de especialistas.

O prospecto expõe também as motivações da companhia para a abertura de capital, assim como a maneira que os administradores pretendem utilizar os recursos dos investidores. O montante pode ser usado para diversos fins, como pagar dívidas ou financiar projetos.

Emissão de ações

O valor das ações é outro ponto de atenção na análise do investidor interessado no IPO. É possível mensurar o preço dos papéis (valuation) com técnicas específicas usadas por especialistas. Trata-se de uma informação essencial para entender se o valor dado aos papéis da empresa que realiza o IPO é justo e se há uma oportunidade de compra em comparação aos seus pares do mercado.

Depois de realizar o IPO, a empresa pode fazer novas emissões de ações. Essas emissões podem ser primárias ou secundárias. Na oferta primária, a companhia emite novos papéis com intuito de vendê-los aos investidores, e os recursos levantados são direcionados para a própria companhia.

Já na emissão secundária, a empresa vende ações existentes, geralmente que pertencem aos sócios com maior participação que desejam diminuir a parcela no negócio. Nesse caso, os recursos vão para os acionistas que vendem as ações.