• Home
  • Conteúdo.
  • Ibovespa na semana: manifestações de 7 de Setembro no radar dos investidores

Ibovespa na semana: manifestações de 7 de Setembro no radar dos investidores

06 de setembro de 2021 ÍndicesInvestimentos Básico

  • SVN Invest
  • SVN Invest

    Editor

Ibovespa na semana: manifestações de 7 de Setembro no radar dos investidores

Alessandra Taraborelli —

Hoje é feriado nos EUA, em comemoração ao Dia do Trabalho. Amanhã é a vez de comemorar o dia da Independência no Brasil. Esses dois feriados devem reduzir o giro financeiro na Bolsa, mas não devem ser suficientes para diminuir os temores por aqui. 

Essa semana, o principal ponto de atenção do mercado são as manifestações marcadas para amanhã. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a ameaçar as instituições ao falar que os atos do feriado são um ultimato para “uma ou duas pessoas”, uma clara referência aos ministros do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. Ele disse ainda que se “alguém quiser jogar fora das quatro linhas da Constituição, mostraremos que também podemos jogar”. Além disso, também existe a preocupação de um confronto entre os manifestantes pró e contra governo.

Ainda no campo político, nos próximos dias o Senado deve receber o projeto que altera as regras do Imposto de Renda, que foi aprovado na semana passada na Câmara. As dúvidas sobre os precatórios e as mudanças no Bolsa Família ainda não foram dissipadas, o que mantém em xeque a questão fiscal. Tudo isso, sem esquecer a crise hídrica e o aumento da energia elétrica que vai impactar em cheio a inflação, ou seja, o bolso do consumidor e encarecer a produção no país. 

Inflação

Na semana passada, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) instituiu uma nova bandeira tarifária, que entrou em vigor no dia 1º de setembro e terá validade até 30 de abril de 2022, o que na prática significa um aumento de cerca de 6,78% na tarifa de energia elétrica, segundo o ministério de Minas e Energia. Vale ressaltar que a tarifa já subiu 16% este ano até meados de agosto. 

E, por falar em inflação, serão divulgados dois importantes indicadores referentes a agosto: Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) na quarta-feira (08) e o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) na quinta-feira (09). Na sexta (10), sai a pesquisa mensal do comércio de julho. 

O IPCA, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é o índice de inflação oficial do País e tem o objetivo de medir a inflação em conjunto de produtos e serviços comercializados no varejo, referente ao consumo pessoal das famílias. 

Em julho, esse indicador apresentou alta de 0,96%, ante 0,53 em junho. Esse foi o maior resultado para o mês de julho desde 2002, quando o índice subiu 1,19%. No ano, a inflação oficial do país acumula alta de 4,76% e, em 12 meses, 8,99%. 

Esse aumento reflete as diversas correções nos preços que aconteceram ao longo do ano, em matéria-prima, alimentos, combustíveis, energia elétrica, entre outros. A desvalorização do real frente ao dólar eleva o preço de componentes importados, o que é mais uma fonte de pressão inflacionária. 

Ou seja, o número de desempregados continua alto, a renda tem caído, e a inflação sobe, corroendo o poder de compra da população: 

Diante deste cenário de dados econômicos fracos, tensão política e questão fiscal, os analistas da XP Investimentos reduziram suas expectativas para a Bolsa no final deste ano de 145 mil pontos, para 135 mil pontos. 

Nos EUA, o principal evento é a divulgação do Livro Bege, relatório divulgado pelo Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) oito vezes ao ano, que traz informações sobre a situação econômica do País. O livro é feito em conjunto pelas 12 filiais regionais do Fed, que realizam entrevistas com economistas, banqueiros e agentes de mercado, entre outros. Esse documento é considerado uma antecipação sobre quais temas relevantes serão discutidos pelos membros do Fed durante suas reuniões. 

Retrospectiva: Dados de emprego nos EUA e PIB brasileiro frustram

O tão esperado Payroll, ou dados de emprego nos EUA, não animou os investidores. O indicador mostrou que foram gerados 235 mil vagas de emprego em agosto no país, abaixo da estimativa do Wall Street Journal, que previa 720 mil vagas. O lado positivo é que os ganhos salariais apresentaram expansão de 0,6% no período. 

Também influenciou negativamente o mercado a informação de que o Partido Democrata norte-americano estuda incluir novas taxações sobre o setor financeiro na reforma tributária, como na recompra de ações. Essa seria uma opção para financiar o aumento dos gastos sociais proposto na agenda econômica do presidente, Joe Biden. 

Essas notícias junto com dados de desaceleração da economia na China e na Europa adicionaram mais tensão aos negócios. Por aqui, as incertezas políticas e fiscais continuam no foco junto com a aprovação do texto da reforma tributária pela Câmara dos Deputados. 

Com isso, o Ibovespa encerrou a sexta-feira (03) em alta de 0,22%, mas o ganho não foi suficiente para anular as perdas na semana, de 3,1%. No mês e no ano as quedas são de 1,55% e 1,75%, respectivamente. Já o dólar fechou o dia com leve alta de 0,03%, cotado a R$ 5,18 e, na semana, acumulou queda de 0,21%. 

Também na semana passada teve a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro referente ao segundo trimestre do ano, que apresentou recuo de 0,1%, interrompendo uma sequência de três trimestres seguidos de crescimento da economia. Com isso, no semestre houve avanço de 6,4% e, em 12 meses, a alta foi de 1,8%. 

Embora o resultado do segundo trimestre indique certa estabilidade, ele ficou abaixo da expectativa do mercado, que previa alta de cerca de 0,2%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir o ritmo de crescimento da economia.

 No primeiro trimestre do ano, o PIB apresentou alta de 1,2% ante o último trimestre de 2020. No ano passado, os eventos adversos da pandemia do Covid-19 levaram o índice a apresentar queda de 4,1% ante 2019. Para este ano, o boletim Focus, pesquisa realizada pelo Banco Central junto a instituições financeiras, mostra que a maioria dos analistas diminuiu a projeção para expansão da economia de 5,22%, para 5,15%.

Outro dado importante divulgado ao longo da semana passada foi a produção industrial, que apresentou queda de 1,3% ante junho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o órgão, com esse resultado a produção industrial ficou 2,1% abaixo do patamar pré-pandemia, de fevereiro de 2020. 

Essa queda é um indicativo de que a indústria brasileira ainda está patinando em sua recuperação e, isso impacta diretamente o crescimento da economia. Se as indústrias não crescem, elas não compram matéria prima, consequentemente, não contratam, não produzem, não vendem, ou seja, a roda não gira e o dinheiro não circula. O setor, que foi impactado pela pandemia, segue em compasso de recuperação e enfrenta a inflação como mais uma vilã nessa fase.

Agenda de indicadores – semana 6 de setembro

Confira os principais eventos que devem centrar a atenção dos investidores:

DataPaísIndicador
06/09/2021BrasilBCB: Relatório Focus (semanal)
06/09/2021BrasilFGV: Secex: Balança comercial (semanal)
06/09/2021EUAFeriado do dia do Trabalho (mercados locais fechados)
07/09/2021BrasilFeriado do dia da Independência (mercados locais fechados)
07/09/2021Área do EuroPIB (2° tri.) – final
08/09/2021BrasilFGV: IGP-DI (ago)
08/09/2021BrasilFGV: IPC-S (semanal)
08/09/2021BrasilAnfavea: Produção e venda de veículos (ago)
08/09/2021BrasilBCB: Fluxo Cambial (semanal)
08/09/2021EUAFed: Livro Bege
09/09/2021BrasilIBGE: IPCA (ago)
09/09/2021BrasilConab: 12º Levantamento da safra de grãos 2020/2021 (set)
09/09/2021BrasilIBGE: Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (ago)
09/09/2021BrasilIBGE: Pesquisa Industrial Mensal – Regional (jul)
09/09/2021Área do EuroBanco Central anunciará decisão de política monetária
09/09/2021EUAEUA: Pedidos de auxílio desemprego (semanal)
10/09/2021BrasilFIPE: IPC (semanal)
10/09/2021BrasilIBGE: Pesquisa Mensal de Comércio (jul)
10/09/2021EUAUSDA: Relatório mensal da produção mundial de grãos
Fonte: E-investidor