26 de novembro de 2018 - 14:17

Falando em Maringá para investidores financeiros, analista Richard Back aponta três candidatos a presidente com chances de ir para o segundo turno e as reações do mercado

Traduzir o cenário político eleitoral brasileiro e mensurar os prováveis impactos na economia para investidores financeiros foi o desafio de Richard Back, analista político da XP Investimentos, que esteve na Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) na manhã desta segunda-feira (3/9) para conversar com clientes da SVN Investimentos.

Back, que mora em Brasília há dez anos e acompanha de perto a política nacional, apontou três possíveis resultados nessas eleições: Jair Bolsonaro (PSL), um candidato do PT – possivelmente Fernando Haddad – e Geraldo Alckmin (PSDB), pelo tempo de propaganda eleitoral no rádio e na TV, que conseguiu com as alianças do chamado “Centrão”.

O método utilizado para chegar às três opções, ele próprio classificou de “futurologia”, mas ressaltou estar pautado nas pesquisas eleitorais realizadas semanalmente pela XP para consumo interno. Para o Maringá Post, Richard Back analisou qual seria a reação do mercado com a possível vitória de cada um dos três candidatos no segundo turno.

Na visão do analista, a possibilidade de Alckmin ganhar a eleição é a mais agradável para o cenário econômico. “Alckmin teria mais capacidade de melhorar o mercado. Com ele, o dólar estaria mais baixo e a bolsa para cima”, afirmou. Com os outros dois candidatos, ocorreriam cenários semelhantes.

“Com Bolsonaro, o mercado terá uma expectativa melhor e piora no ano que vem, porque ele não vai conseguir realizar tudo o que disse. No caso do PT, o mercado dá uma piorada, o dólar pode subir, mas depois as coisas melhoram”, disse Back, que trabalhou no Congresso Nacional de 2010 a 2015.

Segundo ele, o processo é inverso com o candidato do PT porque o partido tem poder político e já iniciaria o mandato com algumas medidas.”Eleito no dia 28 [data do segundo turno], no dia 29 o PT já deverá começar a ventilar prováveis nomes de economistas que tenham peso no mercado para compor o governo”, disse.

Matéria originalmente publicada no site Maringá Post.

Por: – 3 de setembro de 2018
Próximo post