• Home
  • Conteúdo.
  • Copom mantém Selic em 13,75% ao ano. Veja oportunidades na renda fixa

Copom mantém Selic em 13,75% ao ano. Veja oportunidades na renda fixa

21 de setembro de 2022 AssessoriaInvestimentosMercados Básico

  • SVN Invest
  • SVN Invest

    Editor

Copom mantém Selic em 13,75% ao ano. Veja oportunidades na renda fixa

Priscilla Arroyo

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), decidiu nesta quarta-feira (21) manter a taxa básica de juros em 13,75% ao ano. Dessa maneira, o Copom encerra o ciclo mais longo de aperto monetário da história, que começou em março de 2021 quando a taxa estava em 2%.

O aperto monetário é uma importante ferramenta de combate à inflação, que avançou de maneira vertiginosa nos últimos 18 meses. A subida geral de preços, que é mundial, foi puxada especialmente pelo aumento do valor dos alimentos e dos combustíveis. Isso reflete, principalmente, dois fatores: a retomada da economia após a flexibilização das restrições da pandemia de Covid-19, e os efeitos da invasão russa à Ucrânia. 

No Brasil, o IPCA acumulado de 12 meses atingiu o patamar mais alto do ano em abril, quando chegou a 12,13%. No entanto, nos últimos meses, o índice tem mostrado arrefecimento. Em agosto, a inflação acumulada havia recuado para 8,73%. 

Apesar de recuar, o IPCA está longe de se enquadrar no teto da meta, que é de 5% para 2022. Os economistas consultados pelo BC apontaram no relatório Focus de 16 de setembro que o IPCA deve terminar 2022 em 6,82%, e recuar para 5,33% em dezembro de 2023 – patamar que ainda fica acima do teto da meta de inflação para o ano que vem (4,75%). 

“Diante da expectativa de IPCA alto para os próximos 16 meses, o mercado considera que a Selic se mantenha em patamar elevado, acima dos dois dígitos”, diz João Negrão, sócio da SVN. Isso tem tudo a ver com a estratégia de investimentos em renda fixa. 

Onde investir com a Selic a 13,75% ao ano? 

Com a Selic a 13,75% ao ano, os investimentos em renda fixa seguem sendo boas opções, com destaque para os títulos atrelados ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI) e alguns papéis do Tesouro Direto – como o “Tesouro Selic”. 

“O investidor deve focar nos papéis de renda fixa atrelados ao CDI com até 2 anos, e também em  fundos de renda fixa com prazos mais alongados (D+15; D+30; D+60)”, diz Negrão, que reitera a importância de uma pesquisa prévia para verificar a idoneidade das  instituições ou empresas que estiverem emitindo esses títulos. Aqui vale lembrar que o Tesouro Direto é a modalidade de investimento com menos risco – o investidor só corre risco de perder o capital investido se o Brasil quebrar. 

Outra dica importante é considerar que quanto maior o prazo do investimento, maior a taxa de remuneração, e menor a incidência de impostos. “Hoje temos CDBs com vencimento em 1 ano pagando 112% CDI (taxando em 20% de IR),  e CDBs de dois anos remunerando 114% CDI (com IR de 15%). 

Confira como fica o rendimento de algumas aplicações:

Fonte: Banco Central (BC), IBGE, SVN. Cáclulo: Rafael Hek / Revisão: Leonardo Maza
*Valores consideram dedução de 17,50% de Imposto de Renda após 12 meses; Taxa Referencial mensal apurada pelo BC em 20/09/2022.
A simulação considera os últimos dados disponíveis. Para a melhor tomada de decisão de onde investir, consulte o seu assessor.

Selo de Governança e Integrada da XP
Selo de Governança e Integridade da XP

Em agosto fomos reconhecidos pela XP Inc e estamos entre os escritórios credenciados com os melhores resultados e engajamento de clientes, agora, conquistamos o Selo de Governança e Integridade da XP Investimentos

Saiba mais