Como comprar ações?

09 de dezembro de 2021 Bolsa de valoresInvestimentos Básico

  • SVN Invest
  • SVN Invest

    Editor

Como comprar ações?

Boris Bellini* —

Mais de 3 milhões de brasileiros possuem cadastro na B3, a Bolsa de Valores do País. É um número que tem crescido rápido – o primeiro milhão de CPFs foi atingido em 2019. Porém, ainda tem muita gente com dinheiro parado na poupança que até gostaria de investir em ações, mas tem inúmeras dúvidas sobre o tema. Por exemplo: como comprar ações? Ou “preciso de muito dinheiro para ter ações?”. Essas questões são explicadas adiante.

O que são ações?

Ações são a menor parte do capital social de uma empresa. Isso significa que, ao comprá-las, as pessoas se tornam sócias do negócio. Dessa forma, mesmo sem muito dinheiro, é possível ter um pedaço pequeno de companhias listadas na Bolsa de Valores.

O investimento no mercado acionário é considerado de mais risco do que a compra de títulos ou fundos de renda fixa. Porém, as possibilidades de ganho também podem ser mais altas. Outra vantagem é o recebimento de dividendos ou parte dos lucros da empresa. Por lei, as companhias compartilham ao menos 25% de suas receitas com os acionistas. Existem três tipos de ação: PN, ON e UNIT. 

Onde comprar ações?

Quando uma empresa abre seu capital, os sócios passam a negociar parte das ações na Bolsa de Valores. No Brasil, as compras e vendas ocorrem durante pregões da B3. Esse processo não é feito de maneira direta, ou seja, os papéis não são adquiridos diretamente com as companhias ou com a Bolsa. O intermédio das negociações é feito pelas corretoras de investimento – empresas responsáveis pela relação entre pessoas e diversos tipos de aplicações.

Então, para comprar ações, é necessário ter conta em uma corretora.

Como comprar ações?

Assim que uma nova conta é aberta, as corretoras de investimentos encaminham um teste ao novo cliente. Por meio dele é possível conhecer o perfil de investidor da pessoa, que pode ser conservador (menos tolerante a riscos), moderado ou arrojado (aceita mais riscos em busca de maior rentabilidade).

O perfil é fundamental para traçar estratégias de investimento, e a compra de ações deve acontecer após uma boa análise. Os especialistas usam alguns parâmetros para avaliar a saúde financeira da companhia. 

Na análise fundamentalista, os analistas estudam a fundo as finanças da companhia e também o cenário macroeconômico no qual estão inseridas. O objetivo é entender qual o potencial de retorno das ações no longo prazo. É comum observar em relatórios o percentual de “upside” – ou seja, quanto a ação pode subir em determinado período. 

Já a análise técnica se concentra em gráficos de preços das ações. Investidores estudam os dados com o intuito de entender quais são os melhores momentos para compra (baixa no preço) e a hora certa de vender (ponto máximo após uma alta). 

É possível adquirir ações por meio de um fundo. Nesse caso, o investidor conta com a expertise do gestor em relação à escolha dos ativos. 

Qual o papel da assessoria de investimentos?

Conhecer as diversas características do mercado, analisar ações de centenas de empresas e montar uma carteira é um trabalho distante da realidade de muitas pessoas. Por isso, vale consultar um assessor de investimentos

Esse profissional é responsável por apresentar a dinâmica de funcionamento do mercado para quem está com disposição para entrar na Bolsa ou realizar aportes em outras opções de renda variável – como os fundos, por exemplo – ou na renda fixa.

Além disso, o assessor também pode sugerir as melhores opções para o perfil de investidor de cada cliente. Ou seja, os assessores são profissionais especializados em ajudar outras pessoas a planejar seus investimentos.

Quanto dinheiro eu preciso ter para comprar ações?

Não existe uma quantia mínima para começar, mas é importante observar as características desse tipo de investimento.

Geralmente, os papéis são vendidos em lotes de 100 unidades. Ou seja, se uma ação está cotada em R$ 15, será necessário investir R$ 1,5 mil na compra de um lote. Porém, existe o mercado fracionário, onde as negociações são feitas por unidades que variam entre uma e 99 ações. Existem menos pessoas que operam dessa forma, então, os preços podem ser diferentes do mercado comum, e a liquidez mais baixa.

Se as ações de uma empresa forem cotadas a R$ 0,80, é possível comprar apenas uma por esse valor. Por outro lado, é importante pesquisar no site da corretora os valores das taxas. O assessor de investimentos pode ajudar nisso também. 

Quando uma compra de ações é realizada – independente da quantidade –, é cobrado um valor pela intermediação do negócio, e ele varia de acordo com a corretora. Além disso, também há casos de cobrança da taxa de custódia, ou seja, pela manutenção dos papéis na conta do acionista.

Ao investir com pouco dinheiro, é importante observar se os ganhos não serão ofuscados com o pagamento de taxas. Outro ponto importante, sempre recomendado, é a diversificação dos investimentos. Comprar ações de diferentes companhias é uma forma de não se expor ao risco de apenas uma. Caso ocorra problemas em um setor, por exemplo, os outros papéis ajudam a manter o desempenho da carteira.

As pessoas que destinam mais dinheiro à compra de ações podem ter outro fator para observar: o imposto de renda. É cobrada alíquota de 15% para os ganhos obtidos após a venda de ações. Porém, se os valores vendidos em um mês ficarem abaixo de R$ 20 mil, o investidor fica isento desse valor.

A SVN conta com uma mesa de renda variável com especialistas aptos para indicar as melhores opções de investimento de acordo com cada perfil. Entre em contato com um de nossos assessores.

*Sob supervisão de Priscilla Arroyo