Bolsa de valores

Recuperação do Setor de Serviços na Mira dos Investidores

Recuperação do setor de serviços na mira dos investidores

Recuperação do setor de serviços na mira dos investidores 1000 626 SVN Invest

Por Priscilla Arroyo e Beatriz Lopes –

No ano passado, em meio à crise provocada pelo isolamento social, o Ibovespa teve um desempenho volátil, mas encerrou o ano com avanço de 2,92%. As empresas que negociam commodities se mostraram resilientes. A ação da siderúrgica CSN (CSNA3), segunda maior exportadora de minério de ferro do Brasil, valorizou 125,7%. 

Mas neste ano, de acordo com os analistas da XP, Joaquim Alvez e Hugo Damasio, o foco dos investidores deve se voltar, também, para as empresas do setor de serviços. Muitas companhias tiveram de suspender as operações por conta da pandemia, e a expectativa é que a retomada das atividades aconteça com força nos próximos meses.

Esse movimento reflete a perspectiva para a recuperação da economia como resultado do avanço do programa de vacinação no Brasil. Economistas esperam uma alta de 3,21% no Produto Interno Bruto (PIB) em 2021.  

“No cenário ideal, com a aplicação de 1,5 milhão de vacinas por dia no Brasil, a gente iria ver a população adulta vacinada em dezembro”, diz Alvez. Mas não é isso que está acontecendo. “O governo está aplicando, em média, de 600 mil a 1 milhão de doses diárias, por enquanto”, afirma. 

Mesmo com a vacinação aquém do ideal, Damasio ressalta que a demanda por alguns papéis, de maneira pontual, já mostra a potencial força dessa recuperação.

A ação da CVC (CVCB3) é um exemplo. A operadora de viagem foi uma das empresas mais impactadas pela crise sanitária no ano passado. 

No entanto, “a ação da CVC, subiu 27% em abril deste ano, no pico da pandemia no Brasil”, afirma Damasio. Para ele, os investidores estão olhando para frente, tentando avaliar o lucro das companhias nos próximos 12 meses.

Expectativa para o Ibovespa

Mesmo com o ritmo de vacinação abaixo do ideal, os especialistas seguem otimistas para o Ibovespa, que deve seguir na faixa dos 120 mil pontos.

Os analistas da XP apresentaram essas perspectivas durante live da SVN apresentada pelo  head de Renda Variável Angelo Amaral, que aconteceu na quinta-feira (29).

Durante a conversa, eles destacaram projeções para os principais indicadores econômicos do Brasil. Além da agenda econômica, os investidores devem estar atentos durante todo o ano no andamento do programa de vacinação contra o coronavírus, e também nos movimentos que formam o cenário das eleições presidenciais de 2022. 

“Temos a preocupação adicional do cenário político, até porque, no ano que vem entram as eleições. (…) Mas agora, a tendência é que a gente saia dessa fase de pandemia, rumo à retomada do crescimento da economia”, diz Alvez.

Cenário Político

Os especialistas consideram dois fatores essenciais para projetar o cenário econômico do Brasil. O controle das contas públicas segue no radar dos investidores. Em abril, a aprovação do Orçamento 2021 elevou a confiança dos agentes do mercado, mas as incertezas continuam em meio ao aumento dos gastos por conta da pandemia e a diminuição da arrecadação de impostos.   

A instabilidade política é outro ponto de atenção. Em outubro de 2022, o Brasil terá as novas eleições presidenciais. Segundo pesquisa do Poder Data, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possui 51% da intenção de votos dos brasileiros, que avaliam o trabalho do atual presidente Jair Bolsonaro como “ruim” ou “péssimo”. 

As projeções devem mudar nos próximos meses. Mas, por agora, os analistas consideram o cenário binário entre Lula e Bolsonaro no segundo turno.

o que é securitização?

O que é securitização?

O que é securitização? 1000 667 SVN Invest

Priscilla Arroyo

Adaptada do termo inglês “securitization”, a securitização ou titularização é a conversão de dívidas a receber por empresas – como duplicatas, cheques e parcelas de cartão de crédito – em títulos negociáveis no mercado financeiro.

Para as companhias, trata-se de uma alternativa para se capitalizar com mais prazo para pagar em relação ao que é oferecido em um empréstimo tradicional, feito em um banco. A prática é muito usada por empresas do setor imobiliário para financiar obras.

Para entender o processo na prática, considere a construção de um edifício: as parcelas de dívidas assumidas pelos compradores dos apartamentos com as empreiteiras e incorporadoras podem ser agrupada por uma empresa securitizadora — empresa autorizada pelos órgãos reguladores — e depois transformada em títulos a serem ofertados no mercado financeiro.

Por assumir o risco da dívida, investidores que comprarem os títulos irão ser recompensados recebendo juros por isso.

Dessa maneira, a empreiteira levanta os recursos para a construção de forma mais barata em comparação a um empréstimo em uma instituição financeira.

Trata-se também de um instrumento para incentivar o desenvolvimento de setores essenciais para a economia do País, como o imobiliário e o agronegócio.

O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) e o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) são exemplos de títulos securitizados bastante conhecidos. Ao comprar esses papéis, o investidor tem a vantagem de não pagar Imposto de Renda (IR).Há ainda os Fundo de Direitos Creditórios (FIDCs), uma comunhão de recursos que destina parcela acima de 50% do seu patrimônio líquido para aplicações em direitos creditórios.

O que é B3?

O que é B3?

O que é B3? 1000 667 SVN Invest

Priscilla Arroyo

A B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) é a empresa que administra a Bolsa de Valores de São Paulo, a maior da América Latina. Lá se concentra toda a negociação de ações do País, sendo um local seguro para transação de compra e venda de valores mobiliários.

A B3 é responsável pela criação e administração de sistemas de negociação, compensação, liquidação, depósito e registro para todas as principais classes de ativos.

Além de ações, a sua plataforma permite negociar derivativos, títulos de renda fixa privada, moedas, títulos públicos e commodities. Suas atividades são supervisionadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ibovespa

O Ibovespa é o principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3. Nele estão reunidas as ações das principais empresas do mercado de capitais brasileiro que realizaram IPO.

Reavaliado a cada quatro meses, o índice que existe desde 1968 é resultado de uma carteira teórica de ativos, composto pelas ações e units de companhias listadas na B3. Trata-se de 80% do número de negócios e do volume financeiro do mercado de capitais nacional.

Cálculo do número de pontos

Quando o número de pontos do Ibovespa avança, significa que a média do preço das ações que o compõe valorizou. Por outro lado, a queda da pontuação indica que boa parte dos papéis fecharam o dia em desvalorização.

O cálculo do número de pontos do índice, que sobe e desce durante todo o pregão, é feito de maneira automática a partir do peso que a ação tem na carteira teórica e o valor de sua cotação no dia. O peso da ação é multiplicado pela sua cotação, e essa soma corresponde ao número de pontos do Ibovespa.

Esses pontos representam o montante, em reais, que um investidor precisaria desembolsar para comprar as ações no índice em suas devidas proporções. Se o Ibovespa está a 115 mil pontos, significa que seriam necessários R$ 115 mil para montar uma carteira exatamente igual a do índice. De maneira simples, é possível dizer que cada ponto no Ibovespa equivale a R$ 1.

Outros índices da B3

Além do Ibovespa, a B3 abriga mais 22 índices que servem como bússola para os investidores acompanharem o mercado. O IBrX-50, por exemplo, reúne os 50 papéis mais negociados da Bovespa. Já o Índice Small Cap mede o comportamento das empresas de menor capitalização.

Há também os índices dedicados a medir o desempenho de setores, como o Índice Imobiliário (IMOB), que reúne ações de empresas dos segmentos imobiliário, construção civil e de intermediação e exploração de imóveis.

Horário de funcionamento da Bolsa

O mercado de ações à vista tem pré-abertura entre 9h45 e 10h, e as negociações acontecem entre 10h e 16h55. O call de fechamento – momento final de compra e venda que permite a participação de determinados papéis – ocorre das 16h55 às 17h.

empresas que estão no Ibovespa

Confira as empresas que estão no Ibovespa

Confira as empresas que estão no Ibovespa 1000 668 SVN Invest

Priscilla Arroyo

Considerado como o termômetro do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa é o índice que agrega as ações mais negociadas da B3. A sua carteira teórica é composta por 81 ações de 78 empresas. 

Entre os principais requisitos para uma companhia compor o índice é ter ações listadas na Bolsa de Valores. Esses papéis precisam ainda ter sido negociados em pelo menos 95% dos pregões nos últimos três anos. No mesmo período, as negociações devem ter movimentado um volume financeiro equivalente a pelo menos 0,1% do total do mercado à vista. 

Caso alguma companhia entre em recuperação judicial, extrajudicial ou regime especial de administração temporária, ela é imediatamente excluída do Ibovespa.

A lista de empresas que compõem o Ibovespa é atualizada a cada quatro meses. Além da entrada e saída de empresas, o índice é rebalanceado – ou seja, o peso de cada ação dentro do grupo é revisto. Os papéis com mais peso são os mais negociados.

Na última revisão, que aconteceu em janeiro de 2021 e vale até abril do mesmo ano, as cinco ações apontadas como maior peso são: Vale (VALE3), com participação de 11,3%; Itaú (ITUB4), com 6,8%; Petrobras (PETR4), com 5,9%; B3 (B3SA3), com 5,4% e Bradesco (BBDC4), com 5,2%.

Na mesma reavaliação, foram incluídas no Ibovespa Eneva (ENEV3) e Copel (CPLE6), do setor de energia. Também entraram para o grupo a holding imobiliária JHSF3 Shopping Centers & Fashion Retail (JHSF3), dedicada à administração de shoppings centers, aeroportos e hotéis. A última estreante no Ibovespa foi a Unidas (LCAM3), companhia de aluguel de automóveis.

Confira as empresas que formam a carteira válida de janeiro a abril de 2021:

CódigoAçãoPart. (%) 
VALE3VALE11,331
ITUB4ITAU UNIBANCO6,868
PETR4PETROBRAS5,91
B3SA3B35,418
BBDC4BRADESCO5,282
PETR3PETROBRAS4,358
ABEV3AMBEV S/A3,112
MGLU3MAGAZINE LUIZA3,041
WEGE3WEG2,563
ITSA4ITAUSA2,419
BBAS3BRASIL2,274
GNDI3INTERMEDICA2,104
NTCO3GRUPO NATURA2,016
SUZB3SUZANO S.A.1,938
RENT3LOCALIZA1,864
JBSS3JBS1,621
LREN3LOJAS RENNER1,562
BBDC3BRADESCO1,268
RADL3RAIA DROGASIL1,227
UGPA3ULTRAPAR1,178
BRDT3PETROBRAS BR1,177
VVAR3VIAVAREJO1,177
GGBR4GERDAU1,112
RAIL3RUMO S.A.1,07
EQTL3EQUATORIAL1,068
BPAC11BTGP BANCO1,013
LAME4LOJAS AMERICANAS1,003
KLBN11KLABIN S/A0,953
VIVT3TELEF BRASIL0,943
CSNA3SID NACIONAL0,934
BBSE3BB SEGURIDADE0,909
BRFS3BRF SA0,817
ENEV3ENEVA0,816
HAPV3HAPVIDA0,756
SANB11SANTANDER BR0,728
BTOW3B2W DIGITAL0,696
SBSP3SABESP0,69
CCRO3CCR SA0,686
BRAP4BRADESPAR0,646
HYPE3HYPERA0,641
CMIG4CEMIG0,634
TOTS3TOTVS0,63
ELET3ELETROBRAS0,6
ENGI11ENERGISA0,599
AZUL4AZUL0,587
SULA11SUL AMERICA0,566
TIMS3TIM0,541
PCAR3P.ACUCAR-CBD0,54
EGIE3ENGIE BRASIL0,511
IRBR3IRB BRASIL RE0,469
YDUQ3YDUQS PART0,452
QUAL3QUALICORP0,451
CSAN3COSAN0,447
CPLE6COPEL0,439
LCAM3LOCAMERICA0,433
PRIO3PETRORIO0,433
ELET6ELETROBRAS0,411
COGN3COGNA ON0,391
BRML3BR MALLS PAR0,381
CYRE3CYRELA REAL0,378
FLRY3FLEURY0,375
GOAU4GERDAU MET0,357
CRFB3CARREFOUR BR0,347
USIM5USIMINAS0,343
TAEE11TAESA0,333
EMBR3EMBRAER0,298
MULT3MULTIPLAN0,297
BRKM5BRASKEM0,285
CPFE3CPFL ENERGIA0,279
MRVE3MRV0,259
MRFG3MARFRIG0,244
ENBR3ENERGIAS BR0,225
CIEL3CIELO0,203
EZTC3EZTEC0,188
CVCB3CVC BRASIL0,162
GOLL4GOL0,157
IGTA3IGUATEMI0,146
BEEF3MINERVA0,111
ECOR3ECORODOVIAS0,104
JHSF3JHSF PART0,103
HGTX3CIA HERING0,099
Circuit Breaker o que é

Circuit Breaker: o que é e como funciona

Circuit Breaker: o que é e como funciona 2560 1707 Fabio Henrique

Você já ouviu falar de circuit breaker?

Brevemente, se trata de uma paralização das negociações na bolsa de valores para que o mercado possa se acalmar e se proteger da volatilidade em excesso do momento.

É o que aconteceu recentemente no começo de Março de 2020. Enfrentando um dos momentos mais instáveis em muito tempo, a Bolsa de Valores foi diretamente impactada pela guerra de preços russo-saudita no petróleo, sofrendo queda de mais de 10% na segunda-feira (09/03/2020).

O petróleo brent, por exemplo, chegou a oscilar com quedas entre 31% e 20%. Com isso, o impacto da disputa entre Rússia e a Opep foi sentido diretamente no Brasil. Mesmo não fazendo parte do grupo, tem no petróleo uma das principais matérias primas de exportação, resultando também em uma queda de 20% nas ações da Petrobrás.

Esses índices, somados aos efeitos que o coronavírus vem estabelecendo ao redor do mundo, afetaram diretamente a Bovespa que, em um dos seus momentos mais instáveis em muito tempo, teve o Circuit Breaker acionado diversas vezes durante o mês de Março.

Para você entender melhor sobre o assunto, vamos te explicar neste artigo o que é um circuit breaker, em que circunstâncias esse mecanismo é acionado, quais as vezes durante a história da Bovespa ele aconteceu e o que podemos esperar da resolução do atual cenário.

O que é um Circuit Breaker

Trata-se de um mecanismo que a Bolsa de Valores utiliza nos momentos onde ocorrem variações bruscas e fora do comum para o mercado de ações. Quando acionado, durante o período de pregão, o Circuit Breaker interrompe a sessão de negociação das ações, protegendo assim o mercado da volatilidade.

Ou seja, enquanto o Circuit Breaker estiver acionado, não é permitido a negociação de nenhum ativo na Bolsa, devido à paralização.

Quando surgiu o Circuit Breaker?

O Circuit Breaker foi concebido pela primeira vez nos Estados Unidos no ano de 1987. Ele foi uma resposta ao índice Dow Jones que na época chegou a despencar 22,6%. No contexto brasileiro, o Circuit Breaker foi acionado pela primeira vez em 1997.

Regras do Circuit Breaker

Segundo a B3, esse mecanismo se dá a partir de três estágios baseados no nível de variação que a Bolsa apresenta. Funciona assim:

10%

No primeiro estágio, quando o Ibovespa atinge uma baixa de 10% em relação ao dia anterior, o Circuit Breaker é acionado por 30 minutos.

15%

No segundo estágio, com as negociações reabertas, caso haja uma variação negativa de 15% em comparação com o dia anterior, as negociações são interrompidas por mais uma hora.

20%

O terceiro e último estágio se dá caso ocorra queda de 20%. Nesta situação, a suspensão das negociações acontece por prazo a ser definido pela Bolsa.

Vale apontar que o mecanismo não pode ser acionado na última meia hora do pregão.

O que a utilização do Circuit Breaker significa para o mercado?

Durante o período de interrupção, é comum que a tendência aponte para uma normalização das ordens de compra e venda dos ativos, recuperando os preços e diminuindo a tensão.

Contudo, é importante frisar que não há garantia de que isso aconteça, sendo possível que exista a necessidade da Bolsa acionar o Circuit Breaker novamente.

Momentos em que o Circuit Breaker foi acionado no Brasil

Como pontuamos acima, essa não foi a primeira ocasião em que o Circuit Breaker foi acionado no país, por esse motivo, listamos outros momentos onde o mecanismo foi utilizado na história da Bolsa de Valores:

  • O Circuit Breaker foi acionado pela primeira vez no Brasil no ano de 1997, mais exatamente no dia 28 de Outubro, como reação à crise financeira da Ásia que resultou em uma queda que excedeu 14%.
  • Ao longo do final da década de 1990, o mecanismo foi acionado novamente em outros dois momentos: em 1998, decorrente da crise da Rússia, onde a Bolsa chegou a fechar com baixa de 15,82%, e em 1999, na véspera da adoção do câmbio livre, onde as negociações foram interrompidas por meia hora.
  • Durante o ataque às torres gêmeas em 11 de Setembro de 2001, houve uma interrupção das negociações na Bolsa, contudo, não houve a utilização do Circuit Breaker. Naquela circunstância, a Bolsa fechou ao atingir uma queda de 9,17%, reabrindo apenas no dia seguinte.
  • Em 22 de Outubro de 2008, o mecanismo foi novamente acionado. Nesse contexto, a crise financeira global estava impactando o mundo todo e a B3 sofreu uma queda de 10,18%. Durante o mesmo mês, as negociações foram interrompidas quatro vezes durante trinta minutos e uma vez durante uma hora.
  • Também houveram interrupções nas negociações em 18 de Maio de 2017. Ela durou 30 minutos e foi impulsionada após polêmicas de cunho político envolvendo o então presidente Michel Temer e Joesley Batista, dono do grupo J&F. Na ocasião, o Ibovespa teve queda de 8,8%.

Para você entender isso de maneira mais visual, confira o infográfico que criamos com a linha do tempo dos circuit breakers na Bovespa:

Circuit Breakers pela história da Bovespa

Quando o cenário deve normalizar?

O cenário ainda é de muita incerteza, muitas coisas ainda vão acontecer. Tanto à nível macroeconômico como doméstico. Com os países asiáticos se recuperando e voltando a atividade industrial, Europa passando por seu pior momento e EUA assumindo a primeira posição no número de contaminados, é difícil fazer previsões sobre quando as coisas devem normalizar.

No cenário doméstico ainda não temos clareza de como o Brasil passará por esse momento de pandemia. Existem dúvidas se os estímulos fiscais serão suficientes para os trabalhadores e empresas afetadas e se os benefícios governamentais chegarão as famílias que realmente precisam.

Neste contexto, para os investidores, é possível concluir que contar com uma carteira de investimentos diversificada se mostra a opção mais viável e segura, já que, dessa forma, o investidor poderá diminuir o impacto em seus resultados.

Os assessores da SVN podem ajudar você a encontrar a melhor carteira de investimento de acordo com seu perfil de investidor e objetivos financeiros.

Clique aqui para conversar com um de nossos assessores!